20°C 35°C
Cuiabá, MT

Polícia Civil prende pai que abusou sexualmente da filha de nove anos

Criminoso alegou em interrogatório que a vítima inventou as acusações para prejudicá-lo

24/05/2024 às 11h32
Por: Redação
Compartilhe:
 Polícia Civil prende pai que abusou sexualmente da filha de nove anos

Um homem que abusou sexualmente da própria filha, de nove anos, foi preso preventivamente pela equipe da Delegacia de Rosário Oeste, nesta quinta-feira (23.05). ele foi localizado em uma propriedade na zona rural do município.

R.S.S., de 29 anos, é alvo de um inquérito instaurado em janeiro deste ano, pela delegacia do município, após a Polícia Civil receber denúncia do Conselho Tutelar de que a criança estava sendo abusada sexualmente.

A equipe policial fez diligências, acompanhada com conselheiras tutelares, na residência da vítima e a mãe da menor declarou que após a visita do conselho, ela conversou com sua filha sobre a denúncia, mas a criança negou que tivesse ocorrido o abuso. No entanto, a vítima acabou contando posteriormente que o pai abusou sexualmente dela e que havia contado sobre o ocorrido para as tias e a vó paternas. A criança disse ainda que teve medo de contar para a mãe por pensar que não acreditaria em sua versão e por isso, negou até aquela data.

A vítima relatou ainda que os atos praticados pelo pai a deixavam triste e com medo e já havia contado para sua avó, mas a mulher não acreditou e ainda ficou brava com a neta.

O investigado foi intimado na Delegacia de Rosário Oeste e durante interrogatório negou os atos criminosos contra a filha e ainda alegou que a criança teria recebido dinheiro de uma tia para fizesse as acusações e o prejudicasse. Ele também negou as acusações feitas pelas duas irmãs.

Duas irmãs do investigado foram ouvidas também na delegacia e ambas declararam que foram abusadas sexualmente pelo irmão e narraram o ciclo delitivo familiar consentido pela própria mãe. Esses fatos serão apurados em outra investigação.

O delegado Márcio Henrique Portela ressaltou que a investigação constatou que o autor do estupro possui personalidade totalmente pervertida. “A liberdade do indiciado põe em risco a ordem pública, haja vista que, não se encontra em situação de conviver em sociedade e, muito provavelmente, continuará com aquelas condutas reprováveis e não se intimida com a atuação da Justiça”, pontuou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários